All Tweets
Previous:
Next:
zwarte en rode lucht

1.43 O que acontece quando morremos?

Céu, inferno ou purgatório?

Muitas pessoas temem a morte. Estamos sempre sozinhos quando morremos: deixamos para trás tudo o que conhecemos e entramos em uma nova realidade. Quando morremos, nosso corpo permanece na terra e nossa alma aparece diante de Deus. Nós seremos confrontados com a maneira como vivemos a nossa vida.

Se tentamos em nossas vidas amar a Deus e a nossos semelhantes, entraremos no céu (possivelmente através do purgatório). No céu, seremos felizes para sempre com Deus. Somente aqueles que conscientemente e permanentemente rejeitam o amor de Deus irão para o inferno.

> Leia mais no livro

Quando tu morres, tu deixas tudo e todos para trás: a tua alma é separada do teu corpo e aparece diante de Deus.

A Sabedoria da Igreja

O que significa morrer em Cristo Jesus?

ignifica morrer na graça de Deus, sem pecado mortal. O que crê em Cristo e segue o seu exemplo pode assim transformar a própria morte num ato de obediência e de amor ao Pai. “É certa esta palavra: se morrermos com ele, também com ele viveremos” (2 Tim 2,11).

[CCIC 206]

Como nos ajuda Cristo na morte, se nos confiarmos a Ele?

Cristo vem ao nosso encontro e nos introduz na vida eterna. “Não é a morte que me vai buscar, mas Deus” (Santa Teresa de Lisieux).   

Tendo em conta o sofrimento e a morte de Jesus, a nossa morte pode tornar-se mais ligeira. Num ato de confiança e de amor ao Pai, podemos dizer “sim” como Jesus fez no monte das Oliveiras. Tal compostura chama-se “sacrifício espiritual”: aquele que morre une-se ao sacrifício de Jesus na cruz. Quem morre assim, numa confiança em Deus e em paz com os outros, ou seja, sem pecado grave, está no caminho para a comunhão com Cristo ressuscitado. A nossa morte não nos faz cair mais fundo que nas suas mãos. Quem morre não viaja para “lugar algum”, mas regressa à casa do amor de Deus, o seu criador. [Youcat 155]

O que nos acontecerá quando morrermos?

Na morte, separam-se corpo e alma. O corpo decompõe-se, enquanto a alma vai ao encontro de Deus e espera que, no Juízo Final, seja unida ao seu corpo ressuscitado.

O “como” da ressurreição do nosso corpo é um mistério. Pode ajudar-nos a entendê-lo a seguinte metáfora: observando um bulbo de tulipa, podemos não reconhecer para quão belíssima flor ele se desenvolverá na terra escura. Do mesmo modo, não sabemos nada sobre o aspecto do futuro do nosso corpo novo. São Paulo está, contudo, seguro: “semeado desprezível, ressuscita glorioso” (1 Cor 15,43a). [Youcat 154]

Isto é o que dizem os Padres da Igreja

Cada um será apresentado ao juiz exatamente como ele foi quando partiu desta vida. No entanto, deve haver uma purificação antes do julgamento, por causa de algumas pequenas falhas que podem permanecer para serem eliminadas. Não é verdade que Cristo diz que, se alguém blasfemar contra o Espírito Santo, ele não será perdoado 'nem neste mundo nem no mundo por vir' (Mt 12,32)? A partir dessa declaração, aprendemos que alguns pecados podem ser perdoados neste mundo e outros no mundo vindouro.  [São Gregório Magno, Diálogos, 4,39 (ML 77, 396)]