All Tweets
Previous:
Next:
klavertjes

1.33 Deus é um só, e, ao mesmo tempo, Ele é três. Não é isto um absurdo?

O que faz o espírito Santo?

Deus existe como Pai, Filho e Espírito Santo. O conceito da Trindade significa que o único Deus está presente para nós de três maneiras diferentes, ou seja, como três pessoas que nos amam muito.

O relacionamento amoroso entre as três pessoas da Trindade nos mostra o que Deus é em sua essência: amor. No entanto, nunca seremos capazes de compreender completamente esse mistério ...

> Leia mais no livro

Como três pessoas, em si próprio Deus partilha o amor entre o Pai, o Filho, e o Espírito Santo. Ele quer partilhar esse amor contigo também!

A Sabedoria da Igreja

O mistério da Santíssima Trindade pode ser conhecido só pela razão humana?

Deus deixou alguns traços do seu ser trinitário na criação e no Antigo Testamento, mas a intimidade do seu ser como Trindade Santa constitui um mistério inacessível à razão humana sozinha, e mesmo à fé de Israel, antes da Encarnação do Filho de Deus e do envio do Espírito Santo. Tal mistério foi revelado por Jesus Cristo e é a fonte de todos os outros mistérios.[CCCC 45]

O que nos revela Jesus Cristo sobre o mistério do Pai?

Jesus Cristo revela-nos que Deus é “Pai”, não só enquanto é criador do universo e do homem, mas sobretudo porque, no seu seio, gera eternamente o Filho, que é o seu Verbo, “resplendor da sua glória, e imagem da sua substância” (Hb 1,3). [CCCC 46]

Quem é o Espírito Santo que Jesus Cristo nos revelou?

É a terceira Pessoa da Santíssima Trindade. Ele é Deus, uno e igual ao Pai e ao Filho. Ele “procede do Pai” (Jo 15, 26), o qual, princípio sem princípio, é a origem de toda a vida trinitária. E procede também do Filho (Filioque), pelo dom eterno que o Pai faz de si ao Filho. Enviado pelo Pai e pelo Filho encarnado, o Espírito Santo conduz a Igreja “ao conhecimento da Verdade total” (Jo 16, 13). [CCCC 47]

Como é que a Igreja exprime a sua fé trinitária?

A Igreja exprime a sua fé trinitária confessando um só Deus em três Pessoas: Pai e Filho e Espírito Santo. As três Pessoas divinas são um só Deus, porque cada uma delas é idêntica à plenitude da única e indivisível natureza divina. Elas são realmente distintas entre si, pelas relações que as referenciam umas às outras: o Pai gera o Filho, o Filho é gerado pelo Pai, o Espírito Santo procede do Pai e do Filho. [CCCC 48]

Como operam as três Pessoas divinas?

Inseparáveis na sua única substância, as Pessoas divinas são inseparáveis também no seu operar: a Trindade tem uma só e mesma operação. Mas no único agir divino, cada Pessoa está presente segundo o modo que lhe é próprio na Trindade.

Ó meu Deus, Trindade que eu adoro... pacificai a minha alma; fazei dela o vosso céu, vossa morada querida e o lugar do vosso repouso. Que eu não vos deixe nunca só, mas que esteja lá, com todo o meu ser, toda vigilante na minha fé, toda em adoração, toda oferecida à vossa ação criadora”.  (Beata Isabel da Trindade) [CCCC 49]

Cremos num Deus ou em três deuses?

Cremos num Deus em três pessoas (Trindade). “Deus não é solidão, mas perfeita comunhão.” (Papa Bento XVI, 22 Maio 2005).

Os cristãos não adoram três deuses diferentes, mas um único Ser que desabrocha em três, permanecendo, contudo, um. Que Deus seja trinitário sabemo-lo por Jesus Cristo: Ele, o Filho, fala do seu Pai que está no céu [“Eu e o Pai somos um” (jO 10,30)]. Ele ora ao Pai e concede-nos o Espírito Santo, que é o amor do Pai e do Filho. Por isso, somos batizados “em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo” (Mt 28,19). [Youcat 35]

Pode descobrir-se que Deus é trinitário pela simples lógica?

Não. A Trindade de Deus é um mistério. Só através de Jesus é que a descobrimos.

O ser humano, somente através da razão, não consegue deduzir que Deus é uno e trino. Ele reconhece, todavia, a razoabilidade deste mistério ao aceitar a revelação de Deus em Jesus Cristo. Se Deus fosse só e solitário, não poderia amar desde toda a eternidade. Iluminados por Jesus, encontramos sinais da Trindade de Deus já no Antigo Testamento (por exemplo, em Gn 1,2; 18,2; 2 Sm 23,2) e até em toda a criação. [Youcat 36]

De que modo Deus é “Pai”?

Veneramos Deus, antes de mais, por ser Pai, porque Ele é o criador e se encarrega das suas criaturas cheio de amor. Além disso, Jesus, o Filho de Deus, ensinou-nos a considerar o seu Pai como nosso Pai, e a abordá-lo mesmo como “Pai nosso”.

Diversas religiões pré-cristãs conheciam já o título divino de “Pai”. Antes de Jesus, Deus já era abordado em Israel como Pai (Dt 32,6; Ml 2,10), e sabia-se também que ele era como uma mãe (Is 66,13); o pai e a mãe representam, na experiência humana, a origem e a autoridade, a proteção e o sustento. Jesus mostrou-nos como Deus é realmente pai: “Quem me vê, vê o Pai” (Jo 14,9). Na Parábola do filho pródigo (Lc 15,11-32), Jesus toca no profundo desejo humano de um Pai misericordioso. [Youcat 37]

Quem é o Espírito Santo?

O Espírito Santo é a terceira pessoa da Santíssima Trindade e é da mesma grandeza divina que o Pai e o Filho.

Devemos a descoberta, em nós, da realidade de Deus à ação do Espírito Santo. Deus enviou “aos nossos corações o Espírito de seu Filho” (Gl 4,6), para ele nos aperfeiçoar totalmente. O cristão encontra, no Espírito Santo, uma alegria profunda, uma paz e uma liberdade interiores. “Vós não recebestes um espírito de escravidão para recair no temor, mas o Espírito de adoção filial, pelo qual clamamos: Abbá, Pai!” (Rm 8,15). No Espírito Santo, que recebemos no Batismo e na Confirmação, podemos chamar Deus de “Pai”. [Youcat 38]

Jesus é Deus? Ele pertence à Santíssima Trindade?

Jesus de Nazaré é o Filho, a segunda pessoa divina, à qual nos referimos quando rezamos: “Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo”. (Mt 28,19)
 

Ou Jesus era um vigarista quando se apresentou como o “Senhor do sábado” e deixou que fosse abordado com o título divino de “Senhor”, ou ele era realmente Deus. Provocou escândalo quando perdoou os pecados; isto era, aos olhos dos seus coevos, um crime capital. Mediante milagres e sinais, mas especialmente através da ressurreição, os discípulos reconheceram quem era Jesus e adoraram-no como o Senhor. Esta é a fé da Igreja. [Youcat 39]

Isto é o que dizem os Padres da Igreja

Nós reconhecemos um Deus e um Filho, que é seu Logos (= Palavra), e um Espírito Santo, unidos em essência: o Pai, o Filho, o Espírito, porque o Filho é a inteligência, razão e sabedoria do Pai e o Espírito uma efluência, como luz do fogo.

[Atenágoras, Apelo em favor dos cristãos, Cap. 24 (MG 6, 945)]