All Tweets
Previous:
Next:
donkere wolken voor de zon

1.34 Deus criou o mal? O que isso tem a ver com os meus pecados?

O mal e o sofrimento

Parece incompreensível para nós que Deus não intervenha quando coisas ruins acontecem. Todo o mal é contrário ao seu grande amor. Como seres humanos, não podemos compreender adequadamente a origem do mal. Uma explicação parcial é que nós humanos, que fomos criados como bons por Deus, podemos fazer uso incorreto do nosso livre arbítrio.

Podemos escolher o bem (a Vontade de Deus), mas também o mal. Quando fazemos uma escolha errada, sabemos no fundo que não estamos fazendo a coisa certa: pecamos. O maravilhoso é que Jesus veio para nos redimir de todos os nossos pecados por sua morte na cruz (Rm 5,20)Rm 5,20 "Sobreveio a Lei para que abundasse o pecado. Mas onde abundou o pecado, superabun­dou a graça.".

> Leia mais no livro

Deus criou tudo bom. Ele deu-nos o livre arbítrio para que possamos escolher fazer o que é bom. O mal acontece quando abusamos da nossa liberdade e pecamos.

A Sabedoria da Igreja

O que é o pecado?

O cerne do pecado é a rejeição de Deus e a recusa de aceitar o seu amor. Isto revela-se no desdém pelos seus mandamentos.

O pecado é mais do que um comportamento errôneo; é também uma fraqueza física. Na sua natureza mais profunda, essa rejeição ou destruição de algo bom é a recusa do bem por excelência, isto é, a recusa de Deus. O pecado, na sua mais profunda e terrível dimensão, é a separação de Deus e, com isso, a separação da fonte da vida. Somente através de Jesus nós entendemos a dimensão abismal do pecado: Jesus sofreu a rejeição de Deus no seu próprio corpo. Ele tomou sobre si a violência mortal do pecado para ele não nos atingir. É neste sentido que usamos a palavra “redenção”. [Youcat 67]

Se Deus é onipotente e providente porque é que existe o mal?

A esta pergunta, tão dolorosa quanto misteriosa, só o conjunto da fé cristã pode dar resposta. Deus não é de maneira nenhuma, nem diretamente nem indiretamente, a causa do mal. Ele ilumina o mistério do mal no seu Filho Jesus Cristo, que morreu e ressuscitou para vencer aquele grande mal moral que é o pecado dos homens e que é a raiz dos outros males. [CCCC 57]

Por que é que Deus permite o mal?

A fé dá-nos a certeza de que Deus não permitiria o mal se do próprio mal não extraísse o bem. Deus realizou admiravelmente isso mesmo na morte e ressurreição de Cristo: com efeito, do maior mal moral, a morte do Seu Filho, Ele retirou os bens maiores, a glorificação de Cristo e a nossa redenção. [CCCC 58]

Porventura o Batismo é o único caminho para a salvação?

Para todos os que acolheram o Evangelho e ouviram que Cristo é “o caminho, a verdade e a vida” (Jo 14,6), o Batismo é o único caminho para Deus e para a salvação. É verdade que Cristo morreu por toda a humanidade. Portanto, também encontram a salvação pessoas que, embora não tenham tido a oportunidade de conhecer Cristo e a fé, procuram Deus de coração sincero e orientam uma vida segundo a sua consciência (trata-se do batismo de desejo).

Deus ligou a salvação aos sacramentos. Por isso, a Igreja tem de os oferecer a todos incansavelmente. Desistir da missão seria uma traição ao mandamento de Deus. Deus, não obstante, não está ligado aos seus sacramentos. Quando a Igreja, por culpa própria ou por outras razões, não cumpre a sua missão ou vê os seus trabalhos gorados, o próprio Deus abre um outro caminho para salvar as pessoas. [Youcat 199]

Isto é o que dizem os Papas

Deus é fiel ao seu desígnio eterno, mesmo quando o homem, induzido pelo Maligno e arrastado pelo seu orgulho, abusa da liberdade que lhe foi dada para amar e procurar generosamente o bem, recusando a obediência ao seu Senhor e Pai. [Papa João Paulo II, Reconciliação e Penitência, nº 10]