All Tweets
Previous:
Next:
concentratiekamp

2.47 Por que razão a Igreja não se opôs aos nazis?

A Igreja no século xx

O Papa Pio XII foi frequentemente criticado por supostamente não se opor aos nazistas durante a Segunda Guerra Mundial. No entanto, seu antecessor, Pio XI, já havia se manifestado fortemente contra o nazismo. Durante a guerra, o papa Pio XII junto com muitos outros católicos, organizaram-se para ajudar milhares de judeus e outras pessoas perseguidas. A muitos fora-lhes oferecido um esconderijo em edifícios religiosos.

Portanto, os nazistas consideravam o papa como um inimigo. As críticas ao comportamento do papa durante a guerra não surgiram até a década de 1960, ao passo que imediatamente após a guerra, o Papa Pio XII foi elogiado pelo Conselho Judaico Mundial e pelos rabinos de Roma, entre outras organizações.

> Leia mais no livro

O Papa Pio XII fez muito mais para ajudar os Judeus do que comumente se pensa. Nos primeiros anos após a guerra, ele foi muito elogiado pelos seus esforços.

Isto é o que dizem os Papas

Hitler disse certa vez: "A providência chamou a mim, um católico, para por fim ao catolicismo. Só um católico pode destruir o catolicismo". Ele tinha certeza de que ele tinha todos os meios para finalmente destruir o catolicismo. Da mesma forma, a grande tendência marxista estava convencida de que alcançaria a revisão científica do mundo e abriria portas para o futuro: a Igreja está chegando ao fim, ela está acabada! A Igreja, no entanto, é mais forte, como Cristo disse. É a vida de Cristo que vence em sua Igreja. [Papa Bento XVI, Encontro com os sacerdotes de Albano, 31 Ago. 2006]