All Tweets
Previous:
Next:

2.53 Como a Igreja Católica retornou à Dinamarca?

A Igreja no século xx

Depois da Reforma Luterana na Dinamarca, em 1536, tornou-se proibido ser católico. Mas a partir de meados dos anos 1600, algumas pequenas congregações católicas foram permitidas em embaixadas de países católicos, bem como na cidade dinamarquesa de Fredericia, onde a liberdade da prática de qualquer religião era permitida como uma tentativa de atrair imigrantes para povoar a cidade.

A Dinamarca ganhou plena liberdade de religião com a constituição de 1849 e nas décadas seguintes o número de católicos cresceu lentamente de 2000 para 10.000 em 1900. No início a maioria dos católicos, incluindo os padres e religiosos, eram estrangeiros, principalmente da Alemanha, França e Polônia. Com o tempo, os convertidos dinamarqueses também se tornaram parte das congregações.

O primeiro bispo católico nascido na Dinamarca depois da Reforma foi Theodor Suhr (bispo de 1939-1965). Ele também participou do Concílio Vaticano II em Roma (1962-1965), e seu sucessor, Hans Ludvig Martensen, implementou as reformas do Vaticano II na Dinamarca. Hoje existem cerca de 45.000 católicos registrados na Dinamarca.

A Igreja Católica é a segunda maior comunidade cristã na Dinamarca, depois da Igreja do Estado Luterano. Seus membros de muitas nacionalidades refletem a universalidade da Igreja.