All Tweets
Previous:
Next:

4.9 Os Dez Mandamentos ainda são importantes?

Viver uma vida cristã

Os Dez Mandamentos contêm regras de conduta muito gerais com as quais a maioria das pessoas pode concordar, particularmente com esses sete mandamentos. Os três primeiros mandamentos são sobre o seu relacionamento com Deus. Do quarto ao décimo mandamento é sobre o seu relacionamento com outras pessoas.

Os Dez Mandamentos servem para ajudá-lo a viver de maneira verdadeiramente humana, para que você não perca de vista quem você realmente é. Desta forma, você também fica perto de Deus, que criou você. No #TwGOD app, você encontrará os Dez Mandamentos na seção contendo formulações padrão da fé católica (orações católicas).

> Leia mais no livro

Os 10 mandamentos ensinam a amar a Deus e ao próximo, e ofereceres de boa vontade alguma coisa de ti mesmo aos outros.

A Sabedoria da Igreja

Quais são os Dez Mandamentos?

1. Eu sou o Senhor teu Deus não terás outros Deuses além de Mim!

2. Não profanarás o nome de Deus!

3. Lembra-te de santificar o Sábado!

4. Honrarás pai e mãe!

5. Não matarás!

6. Não cometerás adultério!

7. Não roubarás!

8. Não darás falso testemunho contra teu próximo!

9. Não cobiçarás a mulher do teu próximo!

10.Não cobiçarás os bens do teu próximo! [Youcat 349]

“Mestre, que devo fazer de bom para alcançar a vida eterna?” (Mt 19,16)

Ao jovem que lhe faz esta pergunta, Jesus responde: “Se queres entrar na vida, observa os mandamentos”, e acrescenta: “Vem e segue-me” (Mt 19,16-21). Seguir Jesus implica observar os mandamentos. A Lei não é abolida, mas o homem é convidado a encontrá-la na pessoa do divino Mestre, que em si mesmo a cumpre perfeitamente, lhe revela o pleno significado e atesta a sua perenidade. [CCIC 434]

Ao dizer: “não farás para ti qualquer imagem esculpida” (Ex 20,3) proíbe-se o culto das imagens?

No Antigo Testamento, este mandamento proíbe representar o Deus absolutamente transcendente. Porém, a partir da Encarnação do Filho de Deus, o culto cristão das imagens sagradas é justificado (como afirma o segundo Concílio de Niceia, de 787), porque se funda no Mistério do Filho de Deus feito homem, no qual Deus transcendente se torna visível. Não se trata de uma adoração da imagem, mas de uma veneração de quem nela é representado: Cristo, a Virgem, os Anjos e os Santos. [CCIC 446]

Que proíbe o quinto mandamento?

O quinto mandamento proíbe como gravemente contrários à lei moral:

  • O homicídio direto e voluntário e a cooperação nele;
  • O aborto direto, querido como fim ou como meio, e também a cooperação nele, crime que leva consigo a pena de excomunhão, porque o ser humano, desde a sua concepção, deve ser, em modo absoluto, respeitado e protegido totalmente;
  • A eutanásia direta, que consiste em pôr fim à vida de pessoas com deficiências, doentes ou moribundas, mediante um ato ou omissão de uma ação devida;
  • O suicídio e a cooperação voluntária nele, enquanto ofensa grave ao justo amor de Deus, de si e do próximo: a responsabilidade pode ser ainda agravada por causa do escândalo ou atenuada por especiais perturbações psíquicas ou temores graves. [CCIC 470]

Porque é que o sexto mandamento, que diz “não cometerás adultério”, proíbe todos os pecados contra a castidade?

Embora no texto bíblico se leia “não cometerás adultério” (Ex 20,14), a Tradição da Igreja segue complexivamente todos os ensinamentos morais do Antigo e Novo Testamento, e considera o sexto mandamento como englobando todos os pecados contra a castidade. [CCIC 493]

Serão os Dez Mandamentos uma composição aleatória?

Não. Os dez Mandamentos contêm uma unidade. Cada mandamento remete para o outro e não pode ser isolado e arbitrariamente considerado. Portanto, quem infringe um Mandamento, infringe toda a Lei.
 

O que torna os Dez Mandamentos tão especiais é o fato de neles poder ser compreendida toda a vida humana. Nós, pessoas humanas, estamos orientados, com efeito, para Deus (do primeiro ao terceiro mandamento) e para os outros (do quarto ao décimo mandamento). Somos seres religiosos e sociais. [Youcat 350]

O ateísmo é sempre um pecado contra o primeiro mandamento?

Se alguém intencionalmente e explicitamente nega a Deus, ele peca contra o primeiro mandamento. Entretanto, sua responsabilidade pode ser seriamente prejudicada, como quando, por exemplo, se a pessoa não conheceu Deus ou se, questionado sobre Deus na sua consciência, não consegue crer nele.

Não é nítida a fronteira entre o não conseguir crer e o não querer crer. A atitude que simplesmente despreza a fé como algo não importante, sem a ter examinado de perto, é frequentemente pior que um ateísmo prudente. [Youcat 357]

Por que motivo o Antigo Testamento proíbe as imagens de Deus e por que razão os cristãos já não cumprem essa proibição?

Para proteger o mistério de Deus e se demarcar de imagens cultuais pagãs, o primeiro Mandamento determina: "Não farás para ti nenhuma imagem de Deus" (Ex 20,4). Porque, todavia, Deus tomou um rosto humano em Jesus Cristo foi abolida a proibição das imagens no Cristianismo; nas igrejas orientais, até os ícones são considerados santos.

A sabedoria dos antepassados de Israel de que Deus excede tudo (é transcendente) e é muito maior do que tudo o que há no mundo continua ainda viva no Judaísmo e no Islamismo, em que foram sempre proibidas as imagens de Deus. No Cristianismo, a proibição das imagens relativamente a Cristo foi-se afrouxando e foi abolida no II Concílio de Nicéia (no ano 787). Pela Sua encarnação, Deus deixou de fato de ser absolutamente inimaginável; desde Jesus, podemos ter uma imagem do seu ser. "Quem me vê vê o Pai" (Jo 14,9). [Youcat 358]

Por que razão os cristãos substituíram o sábado pelo domingo?

Os cristão trocam a celebração do sábado pela celebração do domingo porque Jesus Cristo ressuscitou dos mortos num domingo. O “dia do Senhor” assume porém alguns elementos do Sábado.
 

O domingo cristão tem, assim, três elementos: 1) Recorda a Criação do mundo e remete para o solene esplendor da bondade de Deus dentro do tempo. 2) Recorda o “oitavo dia da Criação”, em que o mundo se renovou em Cristo (isto é dito numa oração na Vigília Pascal: “De modo admirável criaste o Homem e de modo mais admirável ainda o redimistes”). 3) Aproveita o motivo do descanso não apenas para santificar a interrupção do trabalho, mas também para aludir já ao descanso eterno do ser humano em Deus. [Youcat 364]

De que forma os cristãos tornam o domingo no “Dia do Senhor”?

Um cristão católico participa na Santa Missa ao domingo ou na sua véspera. Neste dia, ele deixa de lado todos os trabalhos que o impedem de adorar a Deus e de viver este dia nas suas dimensões de festa, alegria, descanso e restabelecimento.
 

Sendo o domingo uma festa pascal de frequência semanal, os cristãos, desde os primeiros tempos, juntam-se neste dia para celebrarem o seu redentor, agradecer-lhe e reunir-se com ele e com os outros redimidos. Portanto, é de interesse central para cada cristão católico "santificar" o domingo e outras festas de guarda. Deste preceito estão livres todos os que têm deveres familiares prementes ou tarefas sociais importantes. Porque a participação na eucaristia dominical é fundamental para a vida cristã, a Igreja considera expressamente um pecado grave afastar-se da Missa dominical sem necessidade. [Youcat 365]

Isto é o que dizem os Papas

Não admira, pois, que a Aliança de Deus com o seu povo esteja tão intensamente ligada à perspectiva da vida, mesmo na sua dimensão corpórea. O que está em questão é… o mundo de hoje e do futuro e a existência de toda a humanidade. De fato, não é possível, absolutamente, a vida permanecer autêntica e plena, quando se afasta do bem; e o bem, por sua vez, está essencialmente ligado aos mandamentos do Senhor, isto é, à “lei da vida” (Sir 17, 11). [Papa João Paulo II, Evangelium Vitae, nº 48]