All Tweets
Previous:
Next:
vergadertafel

2.5 O que é a Cúria Romana?

A Igreja atual

Em teoria, o papa é um monarca absoluto que governa a Igreja, mas na prática ele é assistido por vários "ministérios" que juntos formam a Cúria Romana. A Secretaria de Estado lida com assuntos internos (eclesiásticos) e relações externas. As congregações e conselhos pontifícios são responsáveis por assuntos como canonizações e beatificações, educação católica, bispos e leigos.

Um dos três tribunais é a Rota Romana, o tribunal de justiça central da Igreja. A Secretaria da Economia administra as atividades econômicas da Santa Sé e do Estado da Cidade do Vaticano. O objetivo final de todas essas organizações é ajudar a Igreja a explicar e proclamar o Evangelho e ajudar os crentes.

> Leia mais no livro

A Cúria Romana é o sistema de ministérios (congregações e conselhos) que ajuda o papa a liderar a Igreja.

A Sabedoria da Igreja

Porque é que Cristo instituiu a hierarquia eclesiástica?

Cristo instituiu a hierarquia eclesiástica com a missão de apascentar o povo de Deus em seu nome, e para isso lhe deu autoridade. A hierarquia eclesiástica é formada por ministros sagrados: Bispos, presbíteros e diáconos. Graças ao sacramento da Ordem, os Bispos e os presbíteros agem, no exercício do seu ministério, em nome e na pessoa de Cristo, a cabeça; os diáconos servem o povo de Deus na diaconia (serviço) da palavra, da liturgia, da caridade. [CCIC 179]

Como se atua a dimensão colegial do ministério eclesial?

A exemplo dos doze Apóstolos escolhidos e enviados por Cristo, a união dos membros da hierarquia eclesiástica está ao serviço da comunhão dos fiéis. Cada Bispo exerce o ministério, como membro do colégio episcopal, em comunhão com o Papa, participando com ele na solicitude pela Igreja universal. Os sacerdotes exercem o seu ministério no presbitério da Igreja particular, em comunhão com o próprio Bispo e sob a sua condução.[CCIC 180]

Porque é que o ministério eclesial tem um caráter pessoal?

O ministério eclesial tem também um caráter pessoal, pois, em virtude do sacramento da Ordem, cada um é responsável diante de Cristo, que pessoalmente o chamou, conferindo-lhe a missão. [CCIC 181]

 

Por que motivo a Igreja não é uma organização democrática?

O princípio da democracia consiste em que todo o poder advém do povo. Na Igreja, porém, todo o poder vem de Cristo, pelo que ela tem um perfil hierárquico; simultaneamente, Cristo deu-lhe uma estrutura colegial.

O princípio hierárquico da Igreja consiste no próprio Cristo, que nela age quando os ministros ordenados fazem ou concedem algo que por si mesmos não fariam ou concederiam, isto é, quando, no lugar de Cristo, eles celebram os sacramentos e ensinam com plenipotência. O princípio colegial da Igreja consiste em que Cristo confiou a totalidade da fé a uma comunhão de doze Apóstolos, cujos sucessores conduzem a Igreja sob a presidência do ministério petrino; na base desta dimensão colegial são imprescindíveis os concílios da Igreja. A multiplicidade dos dons espirituais e a universalidade da Igreja tornam-se também fecundas em outras instituições da Igreja, como os sínodos e os conselhos. [Youcat 140]

Isto é o que dizem os Papas

[Estas são] duas marcas oficiais da Cúria, e ainda mais dos superiores da Cúria, que eu gostaria de enfatizar: profissionalismo e serviço. Profissionalismo, pelo qual me refiro a competência, estudo, mantendo-se a par das coisas... A segunda característica é o serviço: serviço ao Papa e aos bispos, à Igreja universal e às Igrejas particulares. Na Cúria Romana, aprende-se - de modo especial, “se inspira” - esse duplo aspecto da Igreja, essa interação do universal e do particular. [Papa Francisco, À Cúria Romana, 21 Dez. 2013]