All Tweets
Previous:
Next:

1.20 Como se pode saber o que é literalmente verdade na Bíblia, e o que não é?

Lendo a Bíblia

Jesus deu o Espírito Santo como ajudante para seus Apóstolos, para que pudessem entender e proclamar o Evangelho. O Espírito Santo ainda ajuda a Igreja a explicar corretamente a Bíblia.

Por exemplo, há muitos comentários na Bíblia escritos por santos, papas e concílios da Igreja. Juntamente a assistência dada pela Igreja, esses textos podem nos ajudar a entender a Bíblia. Desta forma, podemos ver quais partes podem ser tomadas literalmente e quais partes foram escritas de maneira poética ou metafórica para explicar uma verdade mais profunda.

> Leia mais no livro

A Igreja, auxiliada pelo Espírito Santo, ajuda-nos a ler bem a Bíblia e a compreendê-la na sua totalidade, dentro da Tradição.

A Sabedoria da Igreja

Como deve ser lida a Sagrada Escritura?

A Sagrada Escritura deve ser lida e interpretada com a ajuda do Espírito Santo e sob a orientação do Magistério da Igreja segundo três critérios:

1. atenção ao conteúdo e à unidade de toda a Escritura;
2. leitura da Escritura na Tradição viva da Igreja;
3.respeito pela analogia da fé, isto é, da coesão entre si das verdades da fé.

[CCIC 19]

Como se lê a Bíblia corretamente?

A Sagrada Escritura lê-se corretamente se for lida em atitude orante, ou seja, com a ajuda do Espírito Santo, sob cujo influxo ela surgiu. Ela contém a palavra de Deus, isto é, a decisiva mensagem de Deus para nós.

A Bíblia é como uma longa carta de Deus dirigida a cada um de nós. Por isso, temos de acolher as Sagradas Escrituras com grande amor e respeito. Primeiro, devemos realmente ler a carta de Deus, isto é, não isolar pormenores sem atender ao todo. Depois, devemos orientar esse todo para o seu coração e mistério, ou seja, para Jesus Cristo, de quem fala toda a Bíblia, mesmo o Antigo Testamento. Portanto, devemos ler as Sagradas Escrituras na mesma fé viva da Igreja em que elas surgiram. [Youcat 16]

 

Isto é o que dizem os Padres da Igreja

Devido à profundidade da Sagrada Escritura, nem todos a aceitam em um único e idêntico sentido, mas um entende suas palavras de um modo, outro de outro … Portanto, é extremamente necessário, por conta de tão grandes complexidades de vários erros, que a regra para a correta compreensão dos profetas e apóstolos deve ser enquadrada de acordo com o padrão da interpretação Eclesiástica e Católica. [São Vicente de Lérins, Commonitorium, Cap. 2 (ML 50, 639)]