All Tweets
Previous:
Next:
snelweg

2.14 Posso ser um bom cristão sem a Igreja?

A origem da Igreja

Jesus sabia que não seria fácil viver como cristão. Ele, portanto, instituiu a Igreja, na qual todos os seus seguidores juntos formam uma comunidade. Por meio dessa comunidade, os fiéis podem chegar a Deus, particularmente recebendo os sacramentos e vivendo como Deus nos ensina.

Jesus nos ama tanto que estava preparado para oferecer sua vida pela Igreja. Quem rejeita a Igreja, também rejeita Jesus. Quando as pessoas não conhecem a Igreja sem culpa de sua parte, isso não significa que elas sejam automaticamente condenadas. No entanto, é muito mais fácil ir a Deus através da Igreja e ser feliz para sempre no céu. Deus deseja isso para todas as pessoas!

> Leia mais no livro

Nós confiamos que o futuro daqueles que não conhecem Jesus e daqueles que não o conhecem da mesma forma que nós, está nas mãos de Deus, que os ama.

A Sabedoria da Igreja

Em que sentido a Igreja é santa?

A Igreja é santa, porque Deus Santíssimo é o seu autor; Cristo entregou-se por ela, para a santificar e fazer dela santificadora; e o Espírito Santo vivifica-a com a caridade. Nela se encontra a plenitude dos meios de salvação. A santidade é a vocação de cada um dos seus membros e o fim de cada uma das suas actividades. A Igreja inclui no seu interior a Virgem Maria e inumeráveis Santos, como modelos e intercessores. A santidade da Igreja é a fonte da santificação dos seus filhos, que, aqui, na terra, se reconhecem todos pecadores, sempre necessitados de conversão e de purificação. [CCIC 165]

Que significa que a Igreja é sacramento universal de salvação?

Significa que é sinal e instrumento da reconciliação e da comunhão de toda a humanidade com Deus e da unidade de todo o gênero humano. [CCIC 152]

Que significa a afirmação: “Fora da Igreja não há salvação”?

Significa que toda a salvação vem de Cristo-Cabeça por meio da Igreja, que é o seu corpo. Portanto não poderiam ser salvos os que, conhecendo a Igreja como fundada por Cristo e necessária à salvação, nela não entrassem e nela não perseverassem. Ao mesmo tempo, graças a Cristo e à sua Igreja, podem conseguir a salvação eterna todos os que, sem culpa própria, ignoram o Evangelho de Cristo e a sua Igreja mas procuram sinceramente Deus e, sob o influxo da graça, se esforçam por cumprir a sua vontade, conhecida através do que a consciência lhes dita. [CCIC 171]

Quem pertence à Igreja católica?

Todos os homens, de diferentes modos, pertencem ou estão ordenados à unidade católica do povo de Deus. Estão plenamente incorporados na Igreja católica aqueles que, tendo o Espírito de Cristo, se encontram unidos a ela pelos vínculos da profissão de fé, dos sacramentos, do governo eclesiástico e da comunhão. Os batizados que não se encontram plenamente nesta unidade católica estão numa certa comunhão, ainda que imperfeita, com a Igreja Católica. [CCIC 168]

Qual a relação da Igreja católica com o povo judeu?

A Igreja católica reconhece a sua relação com o povo judeu no fato de Deus ter escolhido este povo entre todos, para primeiro acolher a sua Palavra. É ao povo judeu que pertencem “a adoção a filhos, a glória, as alianças, a legislação, o culto, as promessas, os patriarcas; dele provém Cristo segundo a carne” (Rm 9,5). Diferentemente das outras religiões não cristãs, a fé judaica é já resposta à Revelação de Deus na Antiga Aliança. [CCIC 169]

Que ligação há entre a Igreja católica e as religiões não cristãs?

Antes de mais, há o laço comum da origem e fim de todo o gênero humano. A Igreja católica reconhece que tudo o que de bom e de verdadeiro existe nas outras religiões vem de Deus, é reflexo da sua verdade, pode preparar para acolher o Evangelho e mover em direção à unidade da humanidade na Igreja de Cristo. [CCIC 170]

Como vê a Igreja as outras religiões?

A Igreja respeita tudo o que de bom e verdadeiro têm as outras religiões. Estima e apoia a liberdade de religião como um direito humano. Não obstante, sabe que Jesus Cristo é o único redentor da humanidade. Só Ele é “o Caminho, a Verdade e a Vida” (Jo 14,6).  

Quem incessantemente procura Deus está próximo de nós, cristãos. Existe um especial grau de “afinidade” com os muçulmanos. Tal como o Judaísmo e o Cristianismo, também o Islamismo pertence ao monoteísmo. Os muçulmanos adoram igualmente o Deus Criador e veneram Abraão como pai da sua fé. Para o Corão, Jesus é um grande profeta e Maria, sua mãe, é uma mãe-profetiza. A Igreja ensina que todas as pessoas que, sem culpa própria, desconhecem Cristo e a sua Igreja, mas buscam Deus de coração sincero e seguem a voz da própria consciência, alcançam a salvação eterna. Quem, porém, sabe que Jesus Cristo é “o Caminho, a Verdade e a Vida”, mas não o que seguir, encontrará a salvação em outros caminhos. É isso que significa a frase em língua latina Extra ecclesia, nulla salus (“fora da Igreja não há salvação”). [Youcat 136]

Qual é a missão da Igreja?

A missão da Igreja é permitir que, em todos os povos, brote e cresça o Reino de Deus, que Jesus já inaugurou.

Aonde Jesus foi, o céu tocou a terra, despontou o reino de Deus, um reino de paz e de justiça. A Igreja serve este reino de Deus. Ela não é um fim em si mesma. Ela tem de continuar o que Jesus começou. Ela deve proceder como Jesus procederia. Ela transmite as palavras de Jesus e prossegue a celebração dos sinais sagrados de Jesus (sacramentos). Portanto, a Igreja, com toda a sua fraqueza, é um pedaço do céu sobre a terra. [Youcat 123]

Isto é o que dizem os Padres da Igreja

Quem é separado da Igreja... é separado das promessas da Igreja... É um estranho: não pode ter Deus como um pai quem não tem a Igreja como mãe. [São Cipriano, A unidade da Igreja Católica, Cap. 6 (ML 4, 502)]