All Tweets
Previous:
Next:

3.24 O que é a Liturgia?

Liturgia

A palavra "liturgia" vem do grego e significa serviço público. Liturgia é “a totalidade de símbolos, hinos e ações pelos quais a Igreja manifesta e expressa sua adoração a Deus” (Dom Guéranger). Na liturgia, expressamos o que acreditamos, assim como nossa linguagem corporal expressa o que queremos dizer. Ainda mais importante, na liturgia, recebemos a presença e a graça de Deus.

Liturgia é sobre algo maior que nós mesmos; é sobre Deus. A liturgia da Igreja Católica Romana é a mesma em todo o mundo. Isso significa que você pode acompanhar a missa em todos os lugares, mesmo que você não entenda o idioma: todos os gestos e ações permanecem os mesmos. O  #TwGOD app pode ajudá-lo com isso: ele contém os textos padrão da Missa em vários idiomas para ajudar você a participar da liturgia onde quer que esteja.

> Leia mais no livro

A Liturgia é a oração pública de acordo com os ritos da Igreja. Com isto, expressamos a nossa fé em Deus e conhecê-lo pessoalmente.

A Sabedoria da Igreja

O que é a Liturgia?

A Liturgia é o culto divino oficial da Igreja.

Uma celebração litúrgica não é um evento feito de boas ideias e de cânticos fantásticos. A liturgia não é feita nem inventada. É algo vivo que foi crescendo em uma fé de séculos. Uma celebração litúrgica é um acontecimento sagrado e venerável. A liturgia é cativante quando é sentida: é o próprio Deus que está presente nos seus sinais sagrados e nas suas preciosas orações, muitas vezes antiquíssimas. [Youcat 167]

O que é essencial na Liturgia?

A Liturgia é, acima de tudo, Comunhão com Jesus Cristo. Cada celebração litúrgica, e não apenas a eucarística, é uma pequena festa pascal. Jesus celebra conosco a passagem da morte à Vida, abrindo-a a nós.

A celebração litúrgica mais importante é a liturgia pascal, que Jesus celebrou com Seus discípulos, na sala de jantar, na véspera de Sua morte. Os discípulos pensavam que Jesus ia libertar Israel do Império Romano, como outrora Deus o libertou do Egito. Jesus celebrou, porém, a libertação de toda a humanidade do poder da morte. Antes fora o 'sangue do cordeiro' que preservou os israelitas do anjo da morte; agora, seria Ele próprio o cordeiro cujo sangue salvaria a humanidade da morte. Portanto, a morte e a ressurreição de Jesus são um testemunho de que se pode morrer e, apesar disso, voltar à Vida. Este é o conteúdo próprio de cada celebração litúrgica cristã. O próprio Jesus comparou a Sua morte e a Sua ressurreição com a libertação de Israel da escravidão do Egito. Por isso a ação redentora da morte de Jesus é designada por 'mistério pascal'. Assim como o sangue do cordeiro salvou a vida dos israelitas quando de sua saída do Egito, também Jesus, enquanto verdadeiro cordeiro pascal, redimiu a humanidade do seu envolvimento na morte e no pecado. [Youcat 171]

Qual é a origem última da Liturgia?

A origem última da Liturgia é Deus, no qual acontece uma festa de amor eterno e celestial, a alegria do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Porque Deus é amor, quer fazer-nos participar na festa da Sua alegria e conceder-nos a Sua Bênção.

As nossas celebrações litúrgicas terrenas têm de ser festas cheias de beleza e de vigor: festas do Pai, que nos criou – daí que os dons da terra desempenhem um papel tão grande: o pão, o vinho, o óleo e a luz, o incenso, a música sacra e as cores esplêndidas; festas do Filho, que nos redimiu – daí que nós rejubilemos pela nossa libertação, sentindo-nos serenos quando ouvimos a Palavra e fortalecendo-nos quando tomamos os dons eucarísticos; festas do Espírito Santo, que nos vivifica – daí a transbordante riqueza de consolo, conhecimento, coragem, força e Bênção, que emana da assembleia sagrada. [Youcat 170]

De que modo o Pai é a fonte e o fim da liturgia?

Na liturgia, o Pai enche-nos das suas bênçãos no Filho encarnado, morto e ressuscitado por nós, e derrama o Espírito Santo nos nossos corações. Ao mesmo tempo a Igreja bendiz o Pai, mediante a adoração, o louvor e a ação de graças, e implora o dom do seu Filho e do Espírito Santo.[CCIC 221]

Qual é a obra de Cristo na liturgia?

Na liturgia da Igreja, Cristo significa e realiza principalmente o seu Mistério pascal. Doando o Espírito Santo aos Apóstolos, concedeu-lhes a eles e aos seus sucessores o poder de realizar a obra da salvação por meio do Sacrifício eucarístico e dos sacramentos, nos quais Ele próprio age agora para comunicar a sua graça aos fiéis de todos os tempos e em todo o mundo. [CCIC 222]

Na liturgia, como atua o Espírito Santo em relação à Igreja?

Na liturgia, realiza-se a mais estreita cooperação entre o Espírito Santo e a Igreja. O Espírito Santo prepara a Igreja para encontrar o seu Senhor; recorda e manifesta Cristo à fé da assembleia; torna presente e atualiza o Mistério de Cristo; une a Igreja à vida e à missão de Cristo e faz frutificar nela o dom da comunhão. [CCIC 223]

Isto é o que dizem os Papas

O que é a liturgia? Se abrirmos o Catecismo da Igreja Católica… Podemos ler que originariamente a palavra “liturgia” significa “serviço por parte do povo a favor do povo”. Se a teologia cristão tomou este vocábulo do mundo grego, fê-lo obviamente pensando no novo Povo de Deus nascido de Cristo, que abriu os seus braços na Cruz para unir os homens na paz do único Deus. “Serviço a favor do povo”, um povo que não existe sozinho, mas que se formou graças ao Mistério pascal de Jesus Cristo. Com efeito, o Povo de Deus não existe por laços de sangue, de território, de nação, mas nasce sempre da obra do Filho de Deus e da comunhão com o Pai, que Ele nos obtém. [Papa Bento XVI, Audiência Geral, 26 Set. 2012]