All Tweets
Previous:
Next:

3.51 Quais são as Igrejas Católicas Orientais? O que são "ritos"?

Católicos orientais

Há apenas uma Igreja Católica, dentro da qual existem diferentes Igrejas. Todos eles reconhecem o papa como seu líder. A distinção mais importante surgiu como resultado da divisão no Império Romano. Isso levou a uma igreja ocidental com Roma como seu centro: a Igreja Católica Romana. Além disso, existem várias Igrejas Católicas Orientais.

Um “rito” é a maneira pela qual a liturgia é celebrada. Este rito pode ser diferente para cada Igreja, e pode haver vários ritos dentro de uma Igreja. O que é sempre o mesmo é a essência da liturgia, portanto, o centro da Eucaristia é sempre a presença do próprio Jesus.

Os dois ritos mais difundidos são o Rito Romano ou o Rito Latino e o Rito Bizantino ou Rito Católico Grego, ambos traduzidos em muitas línguas locais. Outros ritos importantes são o rito copta (Egito), o rito etíope, o rito oeste-sírio, o rito leste-sírio e o rito armênio.

Tanto os católicos orientais quanto os católicos romanos fazem parte da Igreja Católica mundial. Um rito é uma maneira de celebrar a liturgia.

A Sabedoria da Igreja

Porque é que a Igreja celebra o único Mistério de Cristo segundo tradições litúrgicas diferentes?

Porque a insondável riqueza do Mistério de Cristo não pode ser esgotada por uma única tradição litúrgica. Desde as origens, esta riqueza encontrou, nos vários povos e culturas, expressões caracterizadas por uma admirável variedade e complementaridade. [CCIC 247]

Qual é o critério, que assegura a unidade na diversidade?

É a fidelidade à Tradição Apostólica, isto é, à comunhão na fé e nos sacramentos recebidos dos Apóstolos, comunhão que é significada e garantida pela sucessão apostólica. A Igreja é católica: pode, portanto, integrar na sua unidade todas as verdadeiras riquezas das culturas. [CCIC 248]

Pode a Igreja alterar ou renovar a Liturgia?

Existem partes da liturgia que podem ser alteradas, outras não. Inalterável é tudo o que tem origem divina, como as palavras de Jesus na última Ceia. A par disso, há partes alteráveis que a Igreja, por vezes, tem de mudar; como o mistério de Cristo deve ser anunciado, celebrado e vivido em todos os tempos e lugares, a liturgia tem de corresponder ao espírito e à cultura de cada povo.


Jesus atingiu o ser humano na sua totalidade; espírito e inteligência, coração e vontade. O mesmo quer Ele fazer na liturgia. Por isso, ela assume traços e rostos diferentes na África, na América, na Ásia, na Oceania e na Europa, num lar de terceira idade e nas Jornadas Mundiais da Juventude, nas comunidades paroquiais e nos mosteiros. Porém, deve ficar claro que ela é o único "serviço divino" da Igreja total e universal. [Youcat 192]