All Tweets
Previous:
Next:

4.5 O que são exemplos de verdadeiras vocações?

Vocação

A Bíblia contém muitas histórias sobre pessoas que são chamadas por Deus. Uma história bem conhecida diz respeito à vocação de Moisés, que levou à libertação de todo o povo de Israel da opressão do Faraó. Embora ele tenha hesitado, Moisés fez o que Deus lhe pediu.

Ainda mais famosa é a vocação de Maria, que se tornaria a mãe de Jesus. Em vez de levantar objeções quando lhe pediram para cooperar com o plano de Deus, Maria foi capaz de confiar-se completamente a Deus, talvez sem compreender ou saber o que esperar.

> Leia mais no livro

Moisés fez o que Deus lhe pediu e libertou o seu povo da escravidão. Maria também disse sim a Deus, e assim, tornou possível a nossa salvação por Jesus.

A Sabedoria da Igreja

Como colabora Maria no desígnio divino da salvação?

Durante toda a sua existência, por graça de Deus, Maria conservou-se imune de todo o pecado pessoal. É a “cheia de graça” (Lc 1,28) e a “Toda Santa”. Quando o Anjo lhe anuncia que dará à luz “o Filho do Altíssimo” (Lc 1,32), dá livremente o seu assentimento com a “obediência da fé” (Rm 1,5). Maria entrega-se totalmente à Pessoa e obra do seu Filho Jesus, abraçando com toda a alma a vontade divina de salvação. [CCIC 97]

Maria foi apenas um instrumento de Deus?

Maria foi mais do que um instrumento passivo de Deus. Foi também mediante o seu activo consentimento que se deu a encarnação de Deus.

Ao anjo que lhe disse que conceberia o “Filho do Altíssimo” Maria respondeu: “Faça-se em mim segundo a tua palavra!” (Lc 1,38) A redenção da humanidade através de Cristo começa, portanto, com uma interpelação de Deus, ou seja, o consentimento livre de uma pessoa humana - e uma gravidez não matrimonial. Por estes invulgares caminhos Maria tornou-se, para nós, a "porta da salvação". [Youcat 84]

Isto é o que dizem os Papas

Muitas vezes me perguntam, especialmente os jovens, por que me tornei padre ... devo começar dizendo que é impossível explicar inteiramente. Pois permanece um mistério até para mim mesmo. Como alguém explica os caminhos de Deus? No entanto, sei que em certo momento de minha vida, me convenci de que Cristo estava dizendo para mim o que ele dissera a milhares de pessoas antes de mim: “Venha, siga-me!” Havia uma sensação clara de que o que eu ouvia no meu coração não era uma voz humana, nem era apenas uma ideia minha. Cristo estava me chamando para servi-lo como sacerdote. [Papa João Paulo II, Los Angeles, USA, 14 Set. 1987]